...

181 R$ 155,00

PLANTAS NA TERAPÊUTICA FARMACOLOGIA E ENSAIOS CLÍNICOS

Comprar

Descrição

Apresentação – 7
Parte I
Plantas medicinais e medicamentos à base de plantas
1 - Aspectos históricos sobre o uso das plantas na terapêutica – 15
2 - Obtenção das plantas medicinais – 22
2.1 - Plantas espontâneas e de cultura na obtenção de fármacos vegetais – 23
2.2 - Aspectos da cultura de plantas medicinais – 25
2.3 - Colheita, secagem, armazenamento e prazo de validade dos fármacos vegetais – 30
3 - O controle de qualidade nos fármacos vegetais – 34
4 - Medicamentos à base de plantas – 36

Constituintes activos das plantas
1 - Introdução – 41
2 - Constituintes do metabolismo primário – 42
2.1 - Glúcidos – 42
2.2 - Lípidos – 44
2.2.1 - Lípidos simples – 44
2.2.2 - Lípidos complexos – 45
2.2.3 - Eicosanóides (prostaglandinas, tromboxanos e leucotrienos) – 46
2.3 - Aminoácidos, derivados de aminoácidos (heterósidos cianogenéticos e tioglicósidos) e derivados de proteínas (lectinas, péptidos cíclicos e ciclótidos) – 49
2.3.1 - Heterósidos cianogenéticos e tioglicósidos – 50
2.3.2 - Lectinas e péptidos cíclicos e ciclótidos – 50
3 - Constituintes do metabolismo secundário obtidos via acetato e via siquimato – 52
3.1 - Fenóis, ácidos fenólicos e seus derivados – 52
3.2 - Cumarinas – 55
3.3 - Lignóides (lignanas, neolignanas e compostos aparentados) – 57
3.4 - Flavonóides – 59
3.5 – Isoflavonóides – 61
3.6 – Taninos – 62
3.7 – Antraquinonas – 67
4 - Terpenóides e esteróides – 67
4.1 - Constituintes dos óleos essenciais - 69
4.2 – Iridóides – 69
4.3 – Diterpenos – 71
4.4 – Esteróis – 72
4.4.1 - Heterósidos cardiotónicos – 75
4.4.2 – Fitosteróis – 75
4.4.3 – Saponósidos – 76
5 - Alcalóides e metilxantinas – 80
5.1 - Alcalóides – 80
5.2 – Metilxantinas – 83
Validação dos medicamentos à base de plantas
1 – Introdução – 87
2 - Aspectos da validação de medicamentos à base de plantas – 90
3 - Validar medicamentos à base de plantas como meio de valorizar este tipo de medicamentos – 93

Parte II
Plantas com acção no sistema nervoso central
1 – Introdução – 97
1.1 - Principais tipos de neurotransmissores e suas funções – 98
1.2 - Mecanismos de acção implicados em extractos de plantas – 99
2 - Plantas com acção sobre o sistema nervoso central – 101
2.1 - Plantas com actividade psicoléptica (ansiolítica, hipnótica e sedativa) - hipericão, lúpulo, melissa, passiflora e valeriana – 103
2.2 - Plantas com actividade psicoanaléptica (estimulante) - efedra e produtos vegetais com cafeína (café, chá, cola, guaraná e mate) - 151
2.3 - Planta com actividade nootrópica (ginkgo) – 163
Plantas com acção no aparelho cardiovascular
1 - Introdução – 183
2 - Plantas com actividade na insuficiência cardíaca (dedaleiras, estrofanto e pirliteiro) – 183
3 - Plantas com actividade sobre a pressão arterial (rauvólfia, oliveira e alho) – 192
4 - Plantas com actividade sobre a aterosclerose (alho, extracto fosfolipídico de soja, farelo de aveia, goma-de-guar e arroz fermentado vermelho) – 193
5 - Planta para o tratamento da doença oclusiva arterial periférica dos membros inferiores (ginkgo) – 217
6 - Plantas na insuficiência venosa crónica (castanheiro-da-índia, extracto de casca de pinheiro-bravo, meliloto, gilbardeira, videira-vermelha e trigo-moiro) – 219
Plantas com acção no aparelho respiratório
1 - Introdução – 229
1.1 - Plantas com acção diaforética (flores de sabugueiro, flores de tília e flores de ulmária) e óleos essenciais – 230
1.2 - Plantas aromáticas e óleos essenciais com acção anti-séptica e descongestionante – 234
1.3 - Plantas e óleos essenciais para controlar a tosse – 237
1.3.1 - Plantas mucilaginosas – 238
1.3.2 - Efedra – 239
1.3.3 - Drosera – 239
1.3.4 - Óleos essenciais – 239
1.4 - Plantas e óleos essenciais com acção expectorante – 241
Plantas com acção no sistema digestivo
1 – Introdução – 251
2 - Na dispepsia – 252
2.1 - Plantas estimulantes do apetite e das secreções digestivas (amargos): absinto, casca de laranja-amarga, centáurea-menor, genciana, lúpulo e trevo-de-água – 253
2.2 - Plantas que aumentam as secreções biliares (alcachofra, boldo, curcuma e taráxaco) – 262
3 - Na flatulência e no meteorismo (alcaravia, anis e funcho) – 271
4 - Em processos inflamatórios gástricos e intestinais – 276
4.1 - Na inflamação da mucosa gástrica (camomila e alcaçuz) – 277
4.2 - Na inflamação intestinal (óleo essencial de hortelã-pimenta) – 280
5 - Em doenças hepáticas (cardo-mariano) – 284
6 - Na diarreia aguda – 292
6.1 - Plantas com taninos (agrimónia, carvalho, chá, mirtilo, pé-de-leão, salgueirinha e tormentilha) – 292
6.2 - Pectinas – 298
6.3 - Levedura de cerveja variedade Sacharomyces cerevisiae Hansen CBS 5926 – 299
7 - Na obstipação – 300
7.1 - Laxantes expansores do volume fecal (fardo de trigo, psílio e ispagula, sementes de linho) – 301
7.2 - Laxantes actuando por efeito osmótico (maná e fruto da sorbeira) – 306
7.3 - Laxantes estimulantes por contacto – 307
7.3.1 - Laxantes por contacto com compostos antraquinónicos (aloés, amieiro-negro, cáscara-sagrada, ruibarbo e sene) – 307
7.3.2 - Laxante por contacto sem compostos antraquinónicos (óleo de rícino) – 316
Plantas com acção no aparelho geniturinário
I - Plantas com indicações em ginecologia – 321
1 – Introdução – 321
2 - Principais plantas usadas (anho-casto, cimiciruga, soja e extracto de soja titulado em isoflavonas, trevo-vermelho e extracto de trevo-vermelho titulado em isoflavonas) – 324
3 - Outras plantas com menor evidência clínica (angélica-chinesa, inhame, lúpulo, óleo de sementes de onagra e sementes de linho) – 353
II - Plantas com acção no aparelho urinário – 360
1 – Introdução – 360
2 - Plantas usadas em infecções urinárias (uva-ursina) – 364
3 - Plantas usadas no tratamento da hiperplasia benigna da próstata (palmeto, ameixieira-africana, urtiga, sementes de abóbora e fitosteróis do tubérculo da batata-africana) – 369
Plantas com acção no aparelho locomotor
1 - Plantas nas dores reumatismais – 389
1.1 - Plantas de uso tradicional (choupo-tremedor, freixo e salgueiro) – 390
1.2 - Plantas aprovadas pela Comissão E Alemã (harpagófito, óleo-resina de cápsico e urtiga) – 392
1.3 - Planta de emprego recente na terapêutica (incenso-indiano) – 397
Plantas com acção nas afecções cutâneas
1 – Introdução – 401
2 - Plantas com acção na pele inflamada e na cicatrização de feridas (calêndula, camomila, centela, equinácea e hamamélia) – 403
3 - Produto vegetal com acção em dermatites atópicas e na prevenção do envelhecimento da pele (óleo de onagra) - 410
4 - Plantas com acção em contusões e luxações (arnica e consolda-maior) – 412
Plantas que aumentam a resistência às doenças
I - Plantas com acção adaptogénica – 419
1 – Introdução – 419
2 - Principais plantas com acção adaptogénica (ginseng e eleuterococo) – 422
3 - Outras plantas com acção adaptogénica com menor evidência clínica (astrágalo e erva-moira-sonífera) – 435
II - Plantas com acção imunoestimulante
1 - Introdução – 444
2 - Plantas imunoestimulantes (equináceas, visco-branco e xitaque) – 445
Índice remissivo - 465
Curriculum vitae dos Autores - 475

Autor: A. Proença da Cunha, Frederico Teixeira, Alda Pereira da Silva e Odete Rodrigues Roque
Ano: 2007
Número de Páginas: 476
Tamanho: 17 X 25,5 cm
Editora: Fundação Calouste Gulbenkian
Acabamento: Brochura
ISBN: 978-972-31-1224-5


CNPJ: 96.631.353/0001-69 - Email: pldlivros@uol.com.br - Fone: (19) 3421 7436 - Fone: 3423 3961 - Piracicaba/SP

Política de Privacidade. ©2008, Revendas de Livros Técnicos. Todos os direitos reservados