...

R$ 75,00

PEDOLOGIA: base para distinção de ambientes

Comprar

Descrição

Este livro, na sua sexta edição, é resultante de uma extensa e estimulante cooperação que envolve a Universidade Federal de Viçosa, a Universidade Federal de Lavras e a Universidade Federal de Uberlândia, e engloba aspectos do solo e suas relações com outros fatores do meio ambiente em todas as regiões geográficas brasileiras.

A natureza é um sempre presente laboratório onde as diferenças entre os solos, em seus atributos, como cor, topografia, profundidade, textura e a sua utilização, afetando os aspectos socioeconômicos, constituem um verdadeiro livro para aprendizagem. Espera-se que em algumas partes deste livro o leitor tenha condição de tirar conclusões sobre fenômenos pertinentes, como, por exemplo, os ajustamentos do homem aos problemas do solo, que são muito peculiares a algumas regiões e, talvez, mesmo àquelas onde o leitor está trabalhando ou vai trabalhar.

Nesse contexto, este livro tem dois objetivos principais: (1) fornecer uma base geral, para facilitar a compreensão de alguns fenômenos facilmente perceptíveis no campo e estimular novas observações, facilitando, assim, a tomada de decisões; e (2) indicar a utilização de informações já existentes que poderão ser usadas diretamente nos planejamentos regionais ou agrupadas às considerações do item anterior, para servir de referencial nas tomadas de decisão em níveis mais específicos.

1. INTRODUÇÃO – 1
1.1. Solo como Fator Ecológico – 3
1.2. Variação Tridimensional dos Solos – 5
1.3. Análise do Solo – 7
1.4. Experimentação e Extensão – 8
1.5. Bibliografia – 9

2. PROPRIEDADES DO SOLO E INTERPRETAÇÃO – 11
2.1. Propriedades – 11
2.2. Propriedades e Inferências – 14
2.2.1. Constituição – 14
2.2.2. Cor – 34
2.2.3. Textura – 41
2.2.4. Estrutura – 47
2.2.5. Cerosidade – 51
2.2.6. Porosidade – 52
2.2.7. Consistência – 56
2.2.8. Cimentação – 60
2.2.9. Pedoclima – 61
2.2.10. Pedoforma – 66
2.3. Bibliografia – 70

3. MATÉRIA ORGÂNICA E SEUS COMPONENTES – 77
3.1. Composição e Estrutura do Húmus – 77
3.2. Dinâmica e Acúmulo de Matéria Orgânica – 79
3.3. Bibliografia – 82

4. ORGANISMOS DO SOLO – 85
4.1. Aspectos Gerais – 85
4.2. Murundus das Áreas de Cerrados e Campos Tropicais Brasileiros – 91
4.2.1. Descrição Morfológica – 93
4.2.2. Origem dos Murundus: Hipóteses – 94
4.2.3. Ciclo Evolutivo: Gênese e Senescência – 102
4.3. Bibliografia – 105

5. GÊNESE - ASPECTOS GERAIS – 109
5.1. Processos – 110
5.1.1. Podzolização – 112
5.1.2. Latolização – 113
5.1.3. Calcificação – 114
5.1.4. Hidromorfismo – 115
5.1.5. Halomorfismo – 115
5.1.6. Tiomorfismo - Sulfurização – 116
5.1.7. Ferrólise – 116
5.2. Horizontes Diagnósticos – 117
5.3. Sequências Gerais – 119
5.3.1. Sequência Cronológica – 119
5.3.2. Sequência Litológica – 124
5.4. Pedogeomorfologia – 129
5.4.1. Acidentamento e aplainamento – 129
5.4.2. Solos profundos e acidentados – 132
5.4.3. Nutrientes – 136
5.4.4. A evolução das formas – 138
5.4.5. Rocha, intemperismo e erosão – 139
5.4.6. Aplainamento – 143
5.4.7. Tempo de exposição da partícula – 146
5.5. Bibliografia – 147

6. SOLO E PAISAGEM – 151
6.1. Relevo – 152
6.2. Vegetação e Clima – 154
6.3. Aspectos Socioeconômicos – 156
6.3.1. Em busca das terras férteis – 156
6.3.2. Povoamento – 158
6.4. Bibliografia – 160

7. CLASSIFICAÇÃO E GEOGRAFIA DE SOLOS – 161
7.1. O Problema da Transferência de Conhecimentos – 161
7.1.1. Avaliação da Terra – 161
7.1.2. Classificação para Alguns Tipos de Transferência de Conhecimentos – 162
7.1.3. A Necessidade de Estratificação – 164
7.2. Sistemas de Classificação de Aptidão Agrícola das Terras – 165
7.2.1. Sistema de Classificação da Capacidade de Uso – 166
7.2.2. Sistema FAO/Brasileiro – 168
7.3. Solos com Problemas – 183
7.3.1. Redução – 184
7.3.2. Práticas de Redução versus Convivência – 187
7.3.3. Práticas de Convivência – 189
7.4. Geografia de Solos – 189
7.4.1. Domínio Pedobioclimático da Amazônia – 189
7.4.2. Domínio do Subárido Nordestino – 191
7.4.3. Domínio dos Mares de Morros Florestados – 192
7.4.4. Domínio do Cerrado – 193
7.4.5. Domínio do Planalto das Araucárias – 195
7.4.6. Domínio das Pradarias Mistas – 196
7.4.7. Mais sobre os Domínios Pedobioclimáticos – 197
7.4.8. Lições de Geografia de Solos – 199
7.5. Classificação de Solos – 201
7.5.1. Propósitos da Classificação – 202
7.5.2. Sistema Americano de Classificação de Solos (Soil Taxonomy) – 202
7.5.2.1. Alguns Problemas na Aplicação da Soil Taxonomy no Brasil – 203
7.5.3. Classificação Brasileira de Solos – 204
7.5.3.1. Esquema das Principais Classes de Solos do Brasil – 207
7.5.3.2. Solos com horizonte B latossólico – 210
7.5.3.3. Solos com horizonte B Textural - Não Hidromórficos – 211
7.5.3.4. Solos com horizonte B Textural ou Plânico - Hidromórficos – 213
7.5.3.5. Solos Hidromórficos sem horizonte B Textural (com ou sem horizonte Plíntico) – 214
7.5.3.6. Cambissolos – 216
7.5.3.7. Neossolos Litólicos, Flúvicos, Regolíticos e Quartzarênicos – 216
7.5.3.8. Chernossolos Rêndzicos (MD) e Vertissolos (V) – 217
7.5.4. Principais Tipos de Horizonte A – 218
7.5.5. Atividade das Argilas e Saturação do Complexo de Troca – 219
7.5.6. Relações com a Soil Taxonomy – 221
7.6. Bibliografia – 222

8. LEVANTAMENTO DE SOLOS – 227
8.1. Tipos de Levantamento de Solos – 230
8.1.1. Autênticos ou Originais – 230
8.1.2. Compilados – 230
8.2. Interpretação para Finalidades Não Agrícolas – 232
8.2.1. Para Estradas – 232
8.2.2. Para Localização de Cidades – 233
8.2.3. Para Auxiliar Trabalhos de Geologia – 233
8.2.4. Para Lazer e Turismo – 233
8.3. Bibliografia – 234

9. MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS – 235
9.1. Unidade de Estudo e Planejamento – 235
9.2. A Interação Solo-Água-Vegetação – 236
9.3. Bibliografia – 249

10. MICROMORFOLOGIA DO SOLO – 251
10.1. O Problema da Amostragem – 251
10.2. Alguns Conceitos Básicos em Micromorfologia – 253
10.2.1. Intemperismo e Minerais índices – 253
10.2.2. Estrutura, Trama e Pedalidade – 254
10.2.3. Níveis de Organização – 255
10.3. Terminologia Descritiva – 256
10.3.1. Constituintes do Solo – 256
10.3.2. Organização do Plasma ou Tessitura Plásmica – 257
10.3.3. Distribuição Relativa do Esqueleto e do Plasma – 258
10.3.4. Estruturas Associadas (Feições Pedológicas) – 258
10.4. Apresentação Sinótica das Descrições e Avaliações Micromorfológicas: Exemplo – 260
10.5. Considerações Finais – 262
10.6. Bibliografia – 262

11. POLUIÇÃO AMBIENTAL – 265
11.1. Metais Pesados – 265
11.2. Pesticidas – 268
11.3. Resíduos Orgânicos – 269
11.4. Outros Processos Relacionados – 269
11.4.1. Movimento de Nitrato para Cursos D’água – 269
11.4.2. Efeito Estufa – 270
11.5. Considerações Finais – 271
11.6. Bibliografia – 271

12. CLASSIFICAÇÃO DE ECOSSISTEMAS – 273
12.1. Análise Sob Várias Escalas – 273
12.2. Hierarquia dos Ecossistemas – 274
12.3. Solos, horizontes e camadas – 278
12.4. Horizontes diagnósticos – 283
12.5. Chaves de identificação: ordem – 290
12.6. Os critérios de identificação – 293
12.7. Ordem, subordem, grande grupo e subgrupo – 312
12.7.1. Organossolos – 318
12.7.2. Neossolos – 318
12.7.3. Vertissolos – 320
12.7.4. Espodossolos – 321
12.7.5. Planossolos – 321
12.7.6. Gleissolos – 322
12.7.7. Latossolos – 324
12.7.8. Chernossolos – 325
12.7.9. Cambissolos – 326
12.7.10. Plintossolos – 327
12.7.11. Luvissolos – 328
12.7.12. Nitossolos – 328
12.7.13. Argissolos – 329
12.8. Classificação nova, mapa antigo – 331
12.9. Bibliografia – 340

ÍNDICE REMISSIVO – 343
FOTOS – 353

Autores: Mauro Resende, Nilton Curi, Sérvulo Batista de Rezende, Gilberto Fernandes Corrêa e João Carlos Ker
Ano: 2014
Número de Páginas: 378
Tamanho: 17 x 24 cm
Editora: Ufla
Acabamento: Brochura
ISBN: 978-85-8127-032-6


CNPJ: 96.631.353/0001-69 - Email: pldlivros@uol.com.br - Fone: (19) 3421 7436 - Fone: 3423 3961 - Piracicaba/SP

Política de Privacidade. ©2008, Revendas de Livros Técnicos. Todos os direitos reservados