...

R$ 160,00

PEDOLOGIA FÁCIL, APLICAÇÕES EM SOLOS TROPICAIS

Comprar

Descrição

Tendo como base o Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (SiBCS, 2018), a abordagem inclui 8 chaves de classificação de solos, nelas atingindo os níveis de ordem e sub ordem; complementarmente os níveis de grandes grupos e sub grupos são indicados no anexo.

O livro engloba também a correlação dos solos classificados pelo sistema brasileiro com o sistema americano (Soil Taxonomy) e com sistema o internacional (WRB/FAO).

Na Pedologia prática, didaticamente o livro interliga classificação de solos com manejo.

Pioneiramente apresenta as maiores produtividades de cana-de-açúcar do mundo, da usina Agrovale de Juazeiro (BA), com vários sistemas de irrigação atingindo mais de 20 cortes.

O marcador de página, que acompanha o livro, é a régua de ambientes de produção de cana-de-açúcar, válida para todos os países tropicais que plantam essa cultura.

Cada letra da régua representa a produtividade média de cinco cortes ou TCH5 (produtividade mínima de 50t/ha correspondendo ao ambiente G2, produtividades intermediárias e a produtividade máxima de até 200t/ha, que corresponde ao ambiente A+4).

Tem como público os estudantes e os profissionais que atuam na Agronomia, Zootecnia, Engenharia Florestal, Engenharia Ambiental, Engenharia civil, Biologia, Geologia, Geomorfologia e Geografia.


1 – Introdução – 1

2 – O ambiente tropical – 2
2.1 Solos – 2
2.2 Clima e vegetação natural – 2
2.3 Geologia e relevo – 7

3 – Constituintes dos solos – 7
3.1 Espaço poroso – 8
3.2 A fração mineral e a fração orgânica – 8

4 – Perfil de solo – 10

5 – Atributos morfológicos dos solos – 14
5.1 Cor – 14
5.2 Textura – 15
5.3 Estrutura – 21
5.4 Consistência – 22
5.5 Profundidades dos solos – 23

6 – Atributos diagnósticos dos solos na seção de controle – 24
6.1 Atributos diagnósticos morfológicos – 24
6.2 Atributos químicos – 29
6.3 Atributos mineralógicos – 59
6.4 Atributos complementares – 61

7 – Correlações entre os parâmetros de intemperismo, físicos, químicos, morfológicos e mineralógicos – 63
7.1 Índice ki – 63
7.2 Carbono x CTC – 63
7.3 Química pedológica x CTC da argila – 66

8 – Horizontes diagnósticos – 67
8.1 Horizontes diagnósticos de superfície – 67
8.2 Horizontes diagnósticos de subsuperfície – 69

9 – Classificação de solos – 70
9.1 Chave de classificação dos solos do Brasil – 70
9.2 Como classificar os solos do Brasil? – 71

10 – Chave de classificação dos solos do Brasil – 76
10.1 Grupo I - Solos minerais sem hidromorfismo com baixa relação textural B/A – 76
10.2 Grupo II - Solos minerais sem hidromorfismo com alto gradiente textural B/A – 81
10.3 Grupo III - Solos minerais com hidromorfismo com baixo gradiente textural B/A – 84
10.4 Grupo IV - Solos minerais com hidromorfismo com alto gradiente textural B/A – 86
10.5 Grupo V - Solos minerais sem hidromorfismo com sequência de horizontes A-C ou A-R – 87
10.6 Grupo VI - Solos minerais com hidromorfismo e sequência de horizontes A-C – 90
10.7 Grupo VII - Solos minerais com horizonte plíntico ou litoplíntico ou horizonte concrecionário dentro dos 40 cm a partir da superfície – 92
10.8 Grupo VIII - Solos orgânicos – 93

11 – A Classificação Americana de solos – 95

12 – A classificação Internacional de solos – 95

13 – Correlação entre a classificação de solos do Brasil com a classificação dos Estados Unidos e WRB/FAO – 96

14 – Solo-paisagem – 101

15 – Levantamento de solos – 103
15.1 Principais etapas para obtenção do mapa de solos – 104
15.2 Tipos de levantamento de solos – 105
15.3 Unidade taxonômica, unidade de mapeamento, inclusões e grupamentos indiferenciados – 108

16 – Amostragem de solo para fins pedológicos e de fertilidade – 109

17 – Água no solo – 113

18 – Drenagem interna do solo – 135
18.1 Velocidade de infiltração básica (VIB) – 137

19 – Características dos solos e ações de manejo – 140
19.1 Latossolos – 140
19.2 Nitossolos – 155
19.3. Cambissolos – 159
19.4 Chernossolos – 166
19.5 Espodossolos – 171
19.6 Argissolos – 176
19.7 Luvissolos – 185
19.8 Planossolos – 189
19.9 Neossolos – 193
19.10 Vertissolos – 203
19.11 Gleissolos – 211
19.12 Plintossolos – 216
19.13 Organossolos – 222
19.14 Andisols – 226

20 – Ambientes de produção – 229
20.1 Manejo convencional – 231
20.2 Manejo avançado – 240

21 – Grupos de manejo – 260
21.1 Grupos de manejo em relação aos herbicidas – 260
21.2 Grupos de manejo em relação a conservação de solos – 262
21.3 Grupos de manejo em relação ao preparo do solo – 265
21.4 Plantio direto – 267
21.5 Grupos de manejo em relação a gessagem – 267
21.6 Grupos de manejo em relação a adubação fosfatada – 268
21.7 Grupos de manejo em relação a adubação potássica – 271
21.8 Grupos de manejo em relação a alocação varietal de plantas – 271

22 – Integração de manejo entre plantas – 273

23 – Mitos e verdades sobre Pedologia – 274

24 – Anexos – 277

25 – Referências bibliográficas – 307


Autores: Hélio do Prado e Thiago a. B. do Prado
Ano: 2022
Número de Páginas: 324
Tamanho: 18 x 25 cm
Acabamento: Capa dura
ISBN: 9786500375336


CNPJ: 96.631.353/0001-69 - Email: pldlivros@uol.com.br - Fone: (19) 3421 7436 - Fone: 3423 3961 - Piracicaba/SP

Política de Privacidade. ©2008, Revendas de Livros Técnicos. Todos os direitos reservados