...

40 R$ 36,00

VISÃO TÉCNICA E ECONÔMICA DA PRODUÇÃO LEITEIRA

Comprar

Descrição

As mudanças impostas à pecuária leiteira do Brasil, sobretudo no início dos anos 90, após a abertura do mercado, fizeram com que um novo perfil se desenhasse para o setor. A falta de política de desenvolvimento a longo prazo, aliada à concorrência desleal e predatória dos subsídios internacionais concedidos às principais commodities lácteas pelos países da União Européia e Estados Unidos interferiam bruscamente na competitividade do setor leiteiro brasileiro.
No entanto, o fortalecimento das entidades de classe tem sido fator relevante para a viabilização da Cadeia Produtiva do Leite no Brasil. A aplicação de medidas de defesa comercial (elevação da Tarifa Externa Comum - TEC e medidas antidumping), juntamente com a implementação de políticas e programas demandados pelo setor produtivo, são grandes vitórias ocorridas no âmbito político e econômico.
A produção de leite cresceu à taxa média de 4,3% ao ano na última década, passando de 15,6 bilhões de litros, em 1993, para 22,3 bilhões, em 2003. Atualmente o Brasil é o sexto maior produtor de leite, com volume que corresponde a aproximadamente 5% da produção mundial. O setor é um dos mais importantes do agronegócio brasileiro, ocupando o sexto lugar em valor bruto da produção agropecuária.
A pecuária leiteira é praticada em todo o território nacional. As condições edafo-climáticas do País permitem a adaptação da atividade às peculiaridades regionais, observando-se, conseqüentemente, a existência de diversos sistemas de produção. Quanto à adoção de tecnologia, pode-se encontrar tanto produtores utilizando técnicas rudimentares bem como propriedades comparáveis às mais competitivas do mundo. De acordo com o IBGE (2003), os Estados que mais produzem leite são Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.
Do ponto de vista regional, a modificação recente mais importante foi o crescimento percentual da produção de leite nas regiões de fronteira. Na última década, a região Norte do País cresceu 109,5% com incremento de 783 milhões de litros. Em termos absolutos, o maior crescimento ocorreu na região Sul com incremento de 2,1 bilhões de litros, seguido do Sudeste e Centro-Oeste com 1,6 e 1,4 bilhões de litros respectivamente.
A qualidade do leite produzido no Brasil melhorou substancialmente a partir de 2001. As condições favoráveis, com oportunidades de exportação, permitiram a implementação do Programa de Melhoria da Qualidade do Leite (MAPA - Instrução Normativa n° 51, de 18 de setembro de 2002), que estabelece critérios para a produção, identidade e qualidade do leite.
Não obstante os avanços no setor, é preciso progredir muito. Existem importantes desafios na coordenação da cadeia, na eliminação das distorções do mercado internacional, no aumento de consumo de lácteos, no crescimento das exportações, entre outros. “Nesse contexto, nosso principal objetivo é discorrer sobre os aspectos que interferem na Cadeia Produtiva do Leite no Brasil, com ênfase nos principais desafios ao aumento de competitividade do setor."

Editores: Flávio Augusto Portela Santos, José Carlos de Moura e Vidal Pedroso de Faria
Ano: 2005
Número de Páginas: 315
Tamanho: 14 X 21 cm
Editora: Fealq
Acabamento: Brochura
ISBN: 85-7133-039-5


CNPJ: 96.631.353/0001-69 - Email: pldlivros@uol.com.br - Fone: (19) 3421 7436 - Fone: 3423 3961 - Piracicaba/SP

Política de Privacidade. ©2008, Revendas de Livros Técnicos. Todos os direitos reservados