IMPORTADOS
· Diversos
LIVROS TÉCNICOS
· Administração
· Agronomia
· Biologia - Ecologia
· Direito
· Diversos
· Engenharia Ambiental
· Engenharia Civil
· Engenharia de Alimentos
· Engenharia Florestal
· Entomologia
· Estatística
· Fisiologia Vegetal
· Fitopatologia
· Geologia
· Geoprocessamento
· Irrigação - Hidráulica
· Medicina Veterinária
· Nutrição
· Química
· Técnicas de Pesquisa - Estudos
· Zootecnia
 




CONTROLE E MONITORAMENTO DE POLUENTES ATMOSFÉRICOS
R$ 98,70


  LIVROS TÉCNICOS >>> Fitopatologia
 
ADJUVANTES AGRÍCOLAS PARA A PROTEÇÃO DE PLANTAS
 
ADJUVANTES AGRÍCOLAS PARA A PROTEÇÃO DE PLANTAS     
  
Por: R$ 70,00 
 
 

   
   
   

Clique na imagem para ampliá-la
Descrição
Os adjuvantes são utilizados na proteção de plantas para aumentar a eficácia do produto, facilitar a mistura de tanque e minimizar possíveis problemas de aplicação. Trabalhos de campo e de laboratório realizados nos últimos dez anos por pesquisadores, empresas de agroquímicos e de adjuvantes resultaram em uma terminologia comum para as diversas funções desempenhadas por adjuvantes. As principais funções de um adjuvante são o de molhar, espalhar e penetrar mais os ingredientes ativos dos herbicidas, inseticidas e fungicidas. São comentados e analisados, neste livro, os fundamentos teóricos e práticos deste importante grupo de substâncias. Dentro do universo da proteção de plantas, constituem-se em um grupo de produtos cada vez mais estratégicos para diminuir os problemas de aplicação no campo. Diversos assuntos relacionados com este tema são apresentados em dez capítulos, de forma prática, didática e conceitual, compondo a estrutura deste volume. Para tal, são enfocadas a proteção de plantas e a sustentabilidade agrícola, o controle racional de pragas, plantas invasoras e doenças, a proteção de plantas e o uso de adjuvantes, a terminologia, fundamentos e as funções de um adjuvante, os tipos e a classificação de adjuvantes (surfactantes, tensoativos, óleos mineral e vegetal, sais inorgânicos), a utilização de adjuvantes para aplicação de herbicidas, inseticidas e fungicidas, as principais formulações e marcas comerciais de adjuvantes registrados no Brasil, a importância da água para a aplicação de adjuvantes e a tecnologia de aplicação de adjuvantes.

As informações técnicas sobre adjuvantes em nossa literatura são em número pequeno. Não existe um livro que reúna todo conteúdo sobre este assunto complexo dentro da proteção de plantas. Dessa forma, esperamos que as informações reunidas aqui contribuam para o entendimento, a decisão, a escolha adequada e a utilização dos adjuvantes nos programas de manejo de plantas invasoras, pragas e doenças de plantas.

CAPÍTULO 1 - A PROTEÇÃO DE PLANTAS E A SUSTENTABILIDADE AGRÍCOLA
1. Introdução – 1
2. Crescimento populacional, produção agrícola e suprimento de alimentos – 2
2.1. Tendências e cenários da agricultura mundial – 2
2.2. O impacto destrutivo das pragas, plantas invasoras e doenças de plantas nos sistemas agrícolas – 5
3. Proteção de plantas, agricultura moderna e sustentabilidade – 6
4. Conclusões – 7
Referências Bibliográficas – 9

CAPÍTULO 2 - A PROTEÇÃO DE PLANTAS E A UTILIZAÇÃO DE ADJUVANTES
1. Introdução – 11
2. Proteção de plantas e da agricultura – 12
2.1. Produção agrícola, o consumidor e a regulamentação – 12
3. O mercado de proteção plantas e de adjuvantes – 13
3.1. O mercado de adjuvantes nos países desenvolvidos e no Brasil – 13
3.2. Tendências de produtos – 14
3.3. Preços dos adjuvantes – 15
4. Utilização de adjuvantes na agricultura – 15
4.1. Papel e função dos adjuvantes – 16
4.2. Fatores agronômicos que levam ao interesse em adjuvantes – 17
4.3. Principais vantagens da utilização de adjuvantes – 18
4.4. Principais desvantagens da utilização de adjuvantes – 18
5. Perspectivas e o futuro do uso de adjuvantes – 18
Referências Bibliográficas – 21

CAPÍTULO 3 - TERMINOLOGIA, FUNDAMENTOS E FUNÇÕES DO USO DE ADJUVANTES
1. Introdução – 23
2. Histórico dos adjuvantes – 23
3. Terminologia do uso de adjuvantes – 25
3.1. ASTM (Sociedade Americana de Verificação e Materiais) – 25
3.2. Associação Europeia de Adjuvantes (EAA) – 25
3.3. Associação dos Produtores e Distribuidores de Produtos Químicos (CPDA) – 26
4. Fatores que influenciam na eficácia dos adjuvantes – 26
4.1. Formulação universal – 26
4.2. Qualidade da água – 26
4.3. Volumes de pulverização – 27
4.4. Cultura, condições climáticas e tecnologia de aplicação – 27
5. Classificação funcional dos adjuvantes – 28
5.1. Funcionalidade dos adjuvantes e seus efeitos – 29
Referências Bibliográficas – 31

CAPÍTULO 4 - TIPOS E CLASSIFICAÇÃO DE ADJUVANTES AGRÍCOLAS
1. Introdução – 33
2. Principais componentes químicos dos adjuvantes registrados no Brasil – 34
3. Classificação de adjuvantes agrícolas – 35
3.1. Classificação dos adjuvantes segundo as normas brasileiras – 35
3.2. Classificação dos adjuvantes segundo as normas da ASTM (Sociedade Americana de Verificação e Materiais) – 40
3.2.1. Adjuvantes de reforço biológico ou ativadores – 41
3.2.1.1. Agentes de ação de superfície/surfactantes – 42
3.2.2. Penetrante – 49
3.2.2.1. Óleos emulsionáveis – 49
3.2.2.1.1. Principais tipos de óleos – 50
3.2.2.1.2. Utilização de óleos emulsionáveis – 50
3.2.2.1.3. Concentrado de óleo agrícola (COC) - óleo mineral – 50
3.2.2.1.4. Propriedades físico-químicas dos óleos agrícolas – 52
3.2.2.1.5. Óleos vegetais, incluindo óleos vegetais quimicamente modificados – 55
3.2.3. Sais inorgânicos – 58
3.2.4. Misturas básicas – 59
3.2.5. Espalhadores – 60
3.2.6. Combinações de agentes de espalhamento e de adesão – 60
3.2.7. Adjuvantes de retenção e adesão – 61
3.2.8. Agente molhante – 62
3.2.8.1. Umectante – 62
3.2.9. Agente de redução da evaporação – 62
3.3. Adjuvantes utilitários – 62
3.3.1. Auxiliares de deposição – 63
3.3.2. Agentes de controle da deriva – 63
3.3.3. Agentes acidificantes e de tampão – 66
3.3.4. Agentes de compatibilidade – 67
3.3.5. Desespumantes e antiespumantes – 68
3.3.6. Agente espumante – 69
3.3.7. Corantes – 70
3.3.8. Agentes mascarantes de odores ou desodorantes – 70
3.4. Atrativos – 71
3.5. Modificadores de herbicida – 71
3.5.1. Agentes de proteção – 72
Referências Bibliográficas – 73

CAPÍTULO 5 - UTILIZAÇÃO DE ADJUVANTES PARA APLICAÇÃO DE HERBICIDAS
1. Introdução – 75
2. Fatores biológicos críticos que afetam adjuvantes de herbicidas – 76
2.1. Tolerância de culturas – 76
2.2. Degradação biológica – 76
2.3. Toxidade para organismos aquáticos não alvo – 77
3. Mercado de herbicidas – 77
4. Padrões atuais de uso de herbicidas e de adjuvantes – 78
4.1. Fatores que afetam o desempenho do herbicida – 78
4.1.1. Tanque de pulverização – 79
4.1.1.1. Limpeza do tanque de pulverização – 79
4.1.1.2. Tamponamento e adição de acidificantes – 79
4.1.1.3. Compatibilidade – 80
4.1.1.4. Agentes condicionadores de água – 80
4.1.1.5. Antiespumante – 81
4.1.2. Deposição – 81
4.1.3. Atomização – 81
4.1.3.1. Deriva de pulverização – 81
4.1.3.2. Bicos e adjuvantes – 82
4.1.3.3. Fatores físicos da velocidade – 83
4.1.4. Retenção e penetração – 86
4.1.4.1. Reflexão – 87
4.1.4.2. Adesão – 88
4.1.4.3. Fatores biológicos e físicos que afetam a retenção e a penetração – 89
4.1.4.4. Composição da cutícula – 89
4.1.4.5. Translocação – 94
5. Adjuvantes e herbicidas pré-emergência – 94
5.1. Principais grupos de herbicidas – 95
5.1.1. Glifosato – 95
5.1.1.1. As formulações de glifosato e adjuvantes – 95
5.1.2. Herbicidas fenoxi – 100
5.1.3. Inibidores da ACCase – 101
5.1.4. Inibidores da ALS/AHAS – 101
5.1.5. Outros grupos – 104
6. Ativadores nitrogenados para uso com herbicidas – 104
6.1. Principais tipos de efeitos – 105
6.2. Principais compostos nitrogenados – 105
6.2.1. Alteração do pH de caldas – 106
6.2.1.1. Soluções nitrogenadas e pH – 106
Referências Bibliográficas – 107

CAPÍTULO 6 - UTILIZAÇÃO DE ADJUVANTES PARA APLICAÇÃO DE FUNGICIDAS
1. Introdução – 111
2. Classificação moderna dos fungicidas – 112
2.1. Fungicidas protetores de contato – 113
2.2. Fungicidas protetores erradicantes – 114
2.3. Fungicidas sistêmicos – 115
2.4. Fungicidas penetrantes – 115
2.5. Fungicidas mesostêmicos – 115
3. Modo de ação de fungicidas e influência do uso de adjuvantes – 116
3.1. Fungicidas protetores – 116
3.1.1. Deposição dos fungicidas sobre as folhas – 116
3.1.2. Retenção foliar – 118
3.1.3. Redistribuição dos fungicidas – 120
3.1.4. Cobertura – 121
3.2. Fungicidas sistêmicos – 123
3.2.1. Penetração – 124
3.2.2. Translocação – 128
3.2.3. Seletividade e fitotoxidade – 130
4. Utilização de adjuvantes com fungicidas para a ferrugem-da-soja – 132
5. Quantidade de resíduos – 138
6. Conclusões – 138
Referências Bibliográficas – 141

CAPÍTULO 7 - UTILIZAÇÃO DE ADJUVANTES PARA APLICAÇÃO DE INSETICIDAS
1. Introdução – 145
2. Uso de adjuvantes e inseticidas – 145
2.1. Efeito do adjuvante sobre a atividade biológica – 148
2.2. Adjuvantes utilitários e inseticidas – 151
2.2.1. Doses reduzidas – 152
2.2.2. Tolerância da cultura, insetos não alvo e outros possíveis efeitos – 152
2.2.3. Atrativos – 155
3. Reguladores de crescimento de plantas – 156
3.1. Mercado de reguladores de crescimento de plantas (RCPs) – 156
3.2. Adjuvantes e RCPs – 157
4. Biopesticidas – 158
4.1. Mercado de biopesticidas – 158
4.2. Adjuvantes e biopesticidas – 159
4.2.1. Micoinsecticidas – 159
4.2.2. Micoherbicidas – 160
4.2.3. Micofungicidas – 160
Referências Bibliográficas – 163

CAPÍTULO 8 - PRINCIPAIS FORMULAÇÕES DE ADJUVANTES REGISTRADAS NO BRASIL
1. Introdução – 165
2. Desenvolvimento de formulações de adjuvantes e viabilidade comercial – 166
2.1. Adjuvantes e cossubstâncias – 166
2.2. Formulação universal de adjuvantes – 167
2.3. Desenvolvimento de novas tecnologias de formulação – 168
3. Regulamentação de adjuvantes – 171
3.1. Legislação brasileira sobre adjuvantes – 172
3.2. Qualidade e rotulagem do produto – 173
3.2.1. Adjuvantes: desvios do uso e marginalização do mercado – 174
4. Empresas fabricantes de adjuvantes – 174
4.1. Fabricantes Multinacionais – 174
4.2. Empresas de distribuição/formulação – 174
4.3. Empresas de defensivos agrícolas – 175
4.4. Organização da indústria – 175
5. Principais marcas comerciais de adjuvantes registradas no Brasil – 175
Referências Bibliográficas – 179

CAPÍTULO 9 - A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA PARA A APLICAÇÃO DE ADJUVANTES
1. Introdução – 181
2. Propriedades físico-químicas básicas dos adjuvantes – 181
2.1. O pH (concentração de íons de hidrogênio) – 182
2.2. BHL (Balanço Hidrofílico - Lipofílico) – 183
2.3. Concentração micelar crítica (CMC) – 185
2.4. Estrutura química – 186
2.5. Carga iônica – 186
2.6. Tensão superficial e molhabilidade – 186
2.7. Ângulo de contato – 188
2.8. Forma física do depósito – 189
2.9. Solubilidade – 189
3. Características desejáveis da água para a aplicação de defensivos agrícolas – 189
3.1. Pureza – 189
3.2. Temperatura – 190
3.3. A água e as soluções – 190
3.4. A água e as suspensões – 190
3.5. Dureza da água – 191
4. Influência da água dura na qualidade da calda de pulverização – 191
4.1. Influência nas formulações – 191
4.2. Influência nos ingredientes ativos – 192
4.3. Volume de água – 192
4.4. Padrões de formulações – 192
5. Correção da dureza da água – 192
5.1. Quelatizantes – 192
6. A importância do pH da água e das caldas de pulverização na eficácia dos defensivos agrícolas – 193
6.1. Influência na estabilidade do ingrediente ativo – 194
6.2. Influência no nível de dissociação do ingrediente ativo – 194
6.3. Influência na estabilidade das caldas – 195
6.4. Correção do pH das caldas – 195
Referências Bibliográficas – 197

CAPÍTULO 10 - TECNOLOGIA E QUALIDADE DE APLICAÇÃO DE ADJUVANTES
1. Introdução – 199
2. Importância e desenvolvimento da tecnologia de aplicação – 200
3. Qualidade de aplicação de defensivos agrícolas e adição de adjuvantes – 202
3.1. A pulverização - o fator limitante para eficácia dos defensivos agrícolas – 202
3.2. O processo de aplicação de um defensivo agrícola – 204
3.2.1. Fatores relacionados com a aplicação e uso de adjuvantes – 207
3.2.2. Condições ambientais, pulverização e aplicação – 208
4. Qualidade e tecnologia de aplicação de defensivos agrícolas – 209
4.1. Momento de aplicação – 209
4.2. Cobertura do alvo biológico – 210
4.2.1. A Importância da densidade e diâmetro de gotas – 211
4.2.1.1. Diâmetro das gotas (Qualidade da cobertura) – 213
4.2.1.2. Volume de calda, densidade das gotas e cobertura dos alvos – 214
4.2.1.3. Seleção de pontas para a pulverização – 223
4.2.1.4. Amostragem e observação de gotas – 226
4.4. Uniformidade de distribuição – 228
4.5. Uso da dosagem correta – 228
4.6. Segurança das aplicações – 228
5. Influência das condições do ambiente no momento das aplicações – 229
5.1. Temperatura e umidade relativa do ar – 229
5.2. Influência do vento – 230
Referências Bibliográficas – 233

PALAVRA FINAL – 235

Autor: Luís Antônio Siqueira de Azevedo
Ano: 2011
Número de Páginas: 264
Tamanho: 18 x 24 cm
Acabamento: Brochura
ISBN: 978-85-902086-6-2
Prazo de entrega
Prazo de entrega: Sedex de 03 a 05 dias úteis e PAC de 05 a 15 dias úteis
Indique este produto
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Nome (para):
E-mail(para):
Comentários:
 
Voltar
vazio

A BIOCENOSE DO SOLO NA PRODUÇÃO VEGETAL & DEFICIÊNCIAS MINERAIS EM CULTURAS
R$ 60,00
GEOLOGIA ESTRUTURAL
R$ 213,50
MUDAS CLONAIS DE CAFÉ: PRODUÇÃO POR MEIO DE EMBRIOGÊNESE SOMÁTICA
R$ 20,00
GIRASSOL: do plantio à colheita
R$ 104,00

Ver Todas as Novidades
——————————————————————————————

CNPJ: 96.631.353/0001-69 - Email: pldlivros@uol.com.br - Fone/Fax (19) 3421 7436 - Fone: 3423 3961 - Piracicaba/SP

Formas de Pagamento
—————————————————————————————
Política de Privacidade. ©2008, Revendas de Livros Técnicos. Todos os direitos reservados