IMPORTADOS
· Diversos
LIVROS TÉCNICOS
· Administração
· Agronomia
· Biologia - Ecologia
· Direito
· Diversos
· Engenharia Ambiental
· Engenharia Civil
· Engenharia de Alimentos
· Engenharia Florestal
· Entomologia
· Estatística
· Fisiologia Vegetal
· Fitopatologia
· Geologia
· Geoprocessamento
· Irrigação - Hidráulica
· Medicina Veterinária
· Nutrição
· Química
· Técnicas de Pesquisa - Estudos
· Zootecnia
 




FERTILIZAÇÃO: fundamentos agroambientais da utilização dos adubos e corretivos
R$ 249,00


  LIVROS TÉCNICOS >>> Agronomia
 
MICRONUTRIENTES NA AGRICULTURA
 
MICRONUTRIENTES NA AGRICULTURA     
  
Por: R$ 0,00 
 
 

   
   
   

Clique na imagem para ampliá-la
Descrição
A literatura científica na área agronômica evoluiu bastante nas últimas décadas no Brasil. Entretanto, havia falta de um livro que tratasse especificamente dos micronutrientes na agricultura.

Para cobrir esta lacuna, a Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - Campus UNESP de Jaboticabal (FCAV), o Instituto Agronômico de Campinas (IAC), a Associação Brasileira para Pesquisa da Potassa e do Fosfato (POTAFOS) e a Associação Nacional para Difusão de Adubos e Corretivos Agrícolas (ANDA), resolveram promover um Simpósio sobre o assunto, com o apoio de cientistas de diferentes instituições do país.

O Simpósio, realizado em Jaboticabal no período de 01 a 05 de agosto de 1988, com quase 400 participantes de várias partes do país, foi um sucesso, ficando a publicação dos Anais sob a responsabilidade da POTAFOS.

Para publicação de tamanho peso foi necessário unir forças com outras instituições. Assim, com o CNPq - Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico - firmou-se um convênio de co-edição e da Adubos Trevo S.A., recebeu-se uma ajuda financeira. A ambas instituições agradecemos o voto de confiança e a colaboração recebida.

Os trabalhos de normatização, revisão e editoração dos textos foram feitos pelos professores Manoel Evaristo Ferreira e Mara Cristina Pessôa da Cruz. A árdua, minuciosa e estafante tarefa, durante meses de intenso labor, proporcionou-nos um excelente livro. A eles, nossos parabéns e agradecimentos.

Agradecendo também aos demais colegas que direta ou indiretamente colaboraram com o Simpósio, é com prazer que entregamos aos leitores este livro - Micronutrientes na Agricultura - testemunho do esforço realizado para preencher a lacuna que existia.

CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO
MICRONUTRIENTES - UMA VISÃO GERAL
1. INTRODUÇÃO – 1
2. TEORES TOTAIS E DISPONÍVEIS – 2
3. ABSORÇÃO, TRANSPORTE E REDISTRIBUIÇÃO NA PLANTA – 3
4. FUNÇÕES E EXIGÊNCIAS – 8
5. AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL – 15
6. DIAGNÓSTICO ATUAL, SOLUÇÕES E PERSPECTIVAS – 16
7. NECESSIDADES DE ESTUDOS – 21
8. RESUMO – 22
9. SUMMARY – 22
10. LITERATURA CITADA – 23

CAPÍTULO 2 - MICRONUTRIENTES NO ANIMAL
FUNÇÕES NO METABOLISMO E CONSEQÜÊNCIAS DE CARÊNCIAS E EXCESSOS
1. INTRODUÇÃO – 35
2. COBALTO – 36
2.1. Aspectos gerais – 36
2.2. Metabolismo e funções – 37
2.3. Deficiência e sintomas – 37
2.4. Toxicidade – 39
3. COBRE – 39
3.1. Aspectos gerais – 39
3.2. Metabolismo – 39
3.3. Deficiência – 41
3.4. Toxicidade – 44
4. FERRO – 45
4.1. Aspectos gerais – 45
4.2. Metabolismo – 45
4.3. Funções – 46
4.4. Deficiência – 46
4.5. Toxicidade – 47
5. IODO – 47
5.1. Aspectos gerais – 47
5.2. Metabolismo – 48
5.3. Deficiência – 48
5.4. Toxicidade – 49
6. MANGANÊS – 50
6.1. Aspectos gerais – 50
6.2. Metabolismo e funções – 50
6.3. Deficiência – 51
7. MOLIBDÊNIO – 52
7.1. Aspectos gerais – 52
7.2. Metabolismo – 52
8. SELÊNIO – 53
8.1. Aspectos gerais – 53
8.2. Metabolismo e funções – 53
8.3. Deficiência – 53
8.4. Toxicidade – 54
9. ZINCO – 55
9.1. Aspectos gerais – 55
9.2. Metabolismo – 56
9.3. Exigências dietéticas – 56
9.4. Deficiência – 57
9.5. Toxicidade – 58
9.6. Usos não nutricionais de zinco na saúde animal – 59
10. RESUMO – 59
11. SUMMARY – 60
12. LITERATURA CITADA – 60

CAPÍTULO 3 - MICRONUTRIENTES NA PLANTA
FUNÇÕES DOS MICRONUTRIENTES NAS PLANTAS
1. INTRODUÇÃO – 65
2. FUNÇÕES DOS MICRONUTRIENTES NA PLANTA – 66
2.1. Boro – 66
2.2. Cloro – 69
2.3. Cobre – 70
2.4. Ferro – 70
2.5. Manganês – 71
2.6. Molibdênio – 73
2.7. Zinco – 73
3. RESUMO – 75
4. SUMMARY – 75
5. LITERATURA CITADA – 75
MECANISMOS DE ABSORÇÃO E DE TRANSLOCAÇÃO DE MICRONUTRIENTES
1. INTRODUÇÃO – 79
2. MECANISMOS DE ABSORÇÃO – 79
2.1. Conceitos – 79
2.2. Absorção, transporte e redistribuição – 81
3. FATORES QUE AFETAM A ABSORÇÃO DE NUTRIENTES PELAS RAÍZES – 94
4. RESUMO – 95
5. SUMMARY – 95
6. LITERATURA CITADA – 96

CAPÍTULO 4 - GEOQUÍMICA DE MICRONUTRIENTES
1. INTRODUÇÃO – 99
2. PROPRIEDADES QUÍMICAS – 100
2.1. Aspectos gerais – 100
2.2. Boro – 100
2.3. Cloro – 102
2.4. Cobre – 102
2.5. Ferro – 103
2.6. Manganês – 103
2.7. Molibdênio – 104
2.8. Zinco – 104
3. MINERAIS E INTEMPERISMO – 104
3.1. Considerações preliminares – 104
3.2. Boro – 106
3.3. Cloro – 107
3.4. Cobre – 107
3.5. Ferro – 107
3.6. Manganês – 108
3.7. Molibdênio – 109
3.8. Zinco – 109
4. RESUMO – 110
5. SUMMARY – 110
6. LITERATURA CONSULTADA E CITADA – 110

CAPÍTULO 5 - MICRONUTRIENTES NO SOLO
BORO
1. INTRODUÇÃO – 113
2. FORMAS DE OCORRÊNCIA – 113
3. CONTEÚDO E DISTRIBUIÇÃO – 115
4. FATORES QUE AFETAM A DISPONIBILIDADE – 118
4.1. pH – 118
4.2. Matéria orgânica – 119
4.3. Compostos de ferro e alumínio – 120
4.4. Tipo de argila – 121
4.5. Textura – 121
4.6. Umidade do solo – 122
4.7. Interações do boro com outros íons – 122
5. OCORRÊNCIA GEOGRÁFICA DE DEFICIÊNCIA – 123
6. CONTROLE DA DISPONIBILIDADE – 123
7. RESUMO – 125
8. SUMMARY – 125
9. LITERATURA CITADA – 125
COBRE
1. INTRODUÇÃO – 131
2. FORMAS – 132
2.1. Aspectos gerais – 132
2.2. Em minerais primários e secundários – 133
2.3. Ocluso – 133
2.4. Adsorção específica – 134
2.5. Trocável – 136
2.6. Na solução do solo – 137
3. CONTEÚDO E DISTRIBUIÇÃO – 139
3.1. Total – 139
3.2. Disponível – 142
4. FATORES QUE AFETAM A DISPONIBILIDADE – 144
5. OCORRÊNCIA GEOGRÁFICA DE DEFICIÊNCIA – 148
6. CONTROLE DA DISPONIBILIDADE DO COBRE – 149
7. RESUMO – 151
8. SUMMARY – 151
9. LITERATURA CITADA – 151
FERRO
1. INTRODUÇÃO – 159
2. OCORRÊNCIA NO SOLO – 159
2.1. Níveis de ocorrência – 159
2.2. Formas – 160
3. DISPONIBILIDADE – 162
4. DEFICIÊNCIA E EXCESSO – 164
5. CONTROLE DE DEFICIÊNCIAS E DE EXCESSOS – 167
5.1. Aspectos gerais – 167
5.2. Reação do solo – 167
5.3. Potencial redox – 168
5.4. Uso de produtos químicos – 168
6. RESUMO – 169
7. SUMMARY – 169
8. LITERATURA CITADA – 171
MANGANÊS
1. INTRODUÇÃO – 173
2. FORMAS DE MANGANÊS NO SOLO – 174
2.1. Na estrutura de minerais – 174
2.2. Organicamente complexado – 175
2.3. Trocável – 176
2.4. Na solução do solo – 178
3. FATORES QUE AFETAM A DISPONIBILIDADE – 180
4. AVALIAÇÃO DO MANGANÊS DISPONÍVEL – 182
5. OCORRÊNCIA GEOGRÁFICA DE TOXICIDADE E DE DEFICIÊNCIA – 186
6. CONTROLE DA DISPONIBILIDADE ATRAVÉS DA ADUBAÇÃO E DE OUTRAS PRÁTICAS – 187
7. RESUMO – 188
8. SUMMARY – 188
9. LITERATURA CITADA – 189
MOLIBDÊNIO
1. INTRODUÇÃO – 191
2. FORMAS DE MOLIBDÊNIO NO SOLO – 192
3. CONTEÚDO NO SOLO – 196
4. FATORES QUE AFETAM A DISPONIBILIDADE DE MOLIBDÊNIO NO SOLO – 201
5. CONTROLE DA DISPONIBILIDADE ATRAVÉS DA ADUBAÇÃO E DE OUTRAS PRÁTICAS – 208
6. RESUMO – 213
7. SUMMARY – 213
8. LITERATURA CITADA – 214
ZINCO
1. INTRODUÇÃO – 219
2. FORMAS DE OCORRÊNCIA – 219
3. CONTEÚDO E DISTRIBUIÇÃO – 221
4. FATORES QUE AFETAM A DISPONIBILIDADE DO ZINCO – 223
4.1. Adsorção – 223
4.2. pH – 231
4.3. Outros fatores que afetam a disponibilidade do zinco – 233
4.4. Lixiviação do zinco – 234
5. CONTROLE DA DISPONIBILIDADE – 234
6. RESUMO – 235
7. SUMMARY – 236
8. LITERATURA CITADA – 236
REAÇÕES E INTERAÇÕES DE MICRONUTRIENTES NO SOLO
1. INTRODUÇÃO – 243
2. PRINCÍPIOS GERAIS SOBRE O COMPORTAMENTO DOS MICRONUTRIENTES NO SOLO – 244
2.1. Aspectos gerais – 244
2.2. Adsorção – 245
2.3. Formas químicas dos elementos no solo – 246
2.4. Fatores que influenciam na retenção dos micronutrientes no solo – 248
2.5. Movimento – 249
3. QUÍMICA DOS MICRONUTRIENTES NO SOLO – 254
3.1. Boro – 254
3.2. Cobre – 255
3.3. Ferro – 258
3.4. Manganês – 260
3.5. Molibdênio – 262
3.6. Zinco – 264
4. RESUMO – 266
5. SUMMARY – 266
6. LITERATURA CITADA – 266

CAPÍTULO 6 - AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DA PLANTA E DISPONIBILIDADE NO SOLO
DIAGNOSE VISUAL
1. INTRODUÇÃO – 273
2. DIAGNOSE – 273
3. ANÁLISE DE PLANTAS – 275
4. CONCENTRAÇÃO DE NUTRIENTES NAS PLANTAS, DEFICIÊNCIA E TOXICIDADE – 276
4.1. Boro – 276
4.2. Cloro – 278
4.3. Cobre – 278
4.4. Ferro – 279
4.5. Manganês – 279
4.6. Molibdênio – 280
4.7. Zinco – 281
5. CHAVE PARA IDENTIFICAÇÃO DE SINTOMAS – 281
6. RESUMO – 281
7. SUMMARY – 281
8. LITERATURA CITADA – 288
ANÁLISE QUÍMICA DE PLANTAS
1. INTRODUÇÃO – 289
2. FUNDAMENTOS DA ANÁLISE DE PLANTAS – 290
3. PROCEDIMENTOS NA ANÁLISE – 292
3.1. Aspectos gerais – 292
3.2. Amostragem – 292
3.3. Preparo da amostra – 293
3.4. Procedimentos analíticos – 294
4. INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS – 296
4.1. Abordagem geral – 296
4.2. Nível crítico – 297
4.3. Faixas de concentração – 300
4.4. Sistema integrado de diagnose e recomendação (DRIS) – 301
5. RESUMO – 304
6. SUMMARY – 305
7. LITERATURA CITADA – 305
ANÁLISE BIOQUÍMICA DE PLANTAS
1. INTRODUÇÃO – 309
2. VANTAGENS E EXIGÊNCIAS – 310
3. USO DA ANÁLISE BIOQUÍMICA DE PLANTAS PARA MICRONUTRIENTES – 311
3.1. Boro – 311
3.2. Cloro – 312
3.3. Cobre – 314
3.4. Ferro – 318
3.5. Manganês – 320
3.6. Molibdênio – 324
3.7. Zinco – 325
4. RESUMO – 327
5. SUMMARY – 327
6. LITERATURA CITADA – 328
ANÁLISE QUÍMICA DO SOLO
1. INTRODUÇÃO – 333
2. PROBLEMAS METODOLÓGICOS – 334
3. EXTRAÇÃO DE MICRONUTRIENTES DO SOLOS – 336
3.1. Água – 337
3.2. Soluções salinas – 338
3.3. Soluções de ácidos – 339
3.4. Soluções complexantes – 339
3.5. Outros processos de extração – 340
4. SELEÇÃO DE MÉTODOS – 340
4.1. Boro – 341
4.2. Zinco – 342
4.3. Manganês, cobre, molibdênio e ferro – 342
5. LIMITES DE INTERPRETAÇÃO DE TEORES – 344
6. PERSPECTIVAS E LIMITAÇÕES – 347
7. RESUMO – 348
8. SUMMARY – 348
9. LITERATURA CITADA – 349

CAPÍTULO 7 - ADUBOS E ADUBAÇÃO COM MICRONUTRIENTES
MICRONUTRIENTES: FILOSOFIAS DE APLICAÇÃO, FONTES, EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E PREPARO DE FERTILIZANTES
1. INTRODUÇÃO – 357
2. FILOSOFIAS DE APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES – 358
3. FONTES DE MICRONUTRIENTES – 359
3.1. Fontes inorgânicas – 359
3.2. Fontes orgânicas – 360
3.3. Micronutrientes na forma de fritas (FTE) – 361
4. EFICIÊNCIA AGRONÔMICA – 362
4.1. Boro – 362
4.2. Molibdênio – 363
4.3. Zinco – 364
4.4. Outros micronutrientes – 365
4.5. Efeito residual – 366
5. MÉTODOS DE APLICAÇÃO – 367
5.1. Tratamento de sementes e imersão de raízes – 367
5.2. Adubação foliar – 367
5.3. Aplicação no solo – 368
5.4. Aplicação com fertilizantes NPK – 370
5.5. Aspectos econômicos – 372
6. FABRICAÇÃO DE FERTILIZANTES CONTENDO MICRONUTRIENTES – 372
6.1. Reações dos materiais contendo micronutrientes com fertilizantes – 372
6.2. Mistura de produtos – 374
6.3. Mistura de grânulos – 374
6.4. Incorporação de micronutrientes em fertilizantes granulados – 375
6.5. Revestimento de micronutrientes em fertilizantes granulados – 377
6.6. Fertilizantes fluidos – 380
7. RESUMO – 381
8. SUMMARY – 383
9. LITERATURA CITADA – 384
FONTES E MÉTODOS DE APLICAÇÃO
1. INTRODUÇÃO – 391
2. SISTEMAS OU “FILOSOFIAS” DE ADUBAÇÃO – 392
2.1. Adubação de correção – 392
2.2. Adubação de segurança – 392
2.3. Adubação de restituição – 393
3. FONTES DE MICRONUTRIENTES – 393
3.1. Compostos inorgânicos simples – 393
3.2. Silicatos complexos (fritas) – 395
3.3. Quelatos – 396
3.4. Adubos orgânicos – 396
3.5. Micronutrientes em “adubos NPK” – 397
4. MÉTODOS DE APLICAÇÃO E EFICIÊNCIA AGRONÔMICA DAS FONTES DE MICRONUTRIENTES – 398
4.1. Aplicação no solo – 399
4.2. Adubação foliar – 404
4.3. Aplicação nas sementes – 407
4.4. Aplicação em raízes de mudas – 408
5. RESUMO – 408
6. SUMMARY – 409
7. LITERATURA CITADA – 409

CAPÍTULO 8 - PROBLEMAS, RESPOSTAS E PERSPECTIVAS EM CULTURAS BRASILEIRAS
CEREAIS
1. PROBLEMAS E PERSPECTIVAS – 413
2. RESPOSTAS À ADUBAÇÃO COM MICRONUTRIENTES – 418
2.1. Culturas – 418
2.2. Diferenças entre espécies e cultivares – 423
3. TOXICIDADE DE FERRO EM ARROZ IRRIGADO – 427
3.1. Aspectos gerais – 427
3.2. Sintomas de toxicidade de Fe²+ em arroz – 431
3.3. Controle da disponibilidade de Fe²+ em solos inundados – 432
4. CORREÇÃO DAS DEFICIÊNCIAS DE MICRONUTRIENTES – 432
4.1. Sintomas de deficiência de zinco – 432
4.2. Fontes e métodos de aplicação de micronutrientes – 433
5. RESUMO – 436
6. SUMMARY – 437
7. LITERATURA CITADA – 438
CULTURAS OLEAGINOSAS
1. INTRODUÇÃO – 445
2. AMENDOIM – 446
2.1. Generalidades – 446
2.2. Boro – 446
2.3. Zinco – 449
2.4. Manganês – 449
2.5. Outros micronutrientes – 450
3. GIRASSOL – 451
3.1. Generalidades – 451
3.2. Boro – 451
3.3. Outros micronutrientes – 453
4. ALGODOEIRO – 453
4.1. Generalidades – 453
4.2. Boro – 454
4.3. Zinco – 461
4.4. Manganês – 461
4.5. Outros micronutrientes – 462
5. SOJA – 462
5.1. Generalidades – 462
5.2. Molibdênio – 463
5.3. Manganês – 467
5.4. Boro – 470
5.5. Zinco – 472
5.6. Outros micronutrientes – 474
6. RESUMO – 476
7. SUMMARY – 476
8. LITERATURA CITADA – 476
CANA-DE-AÇÚCAR
1. INTRODUÇÃO – 485
2. SISTEMA DE FIXAÇÃO ASSOCIATIVA DE NITROGÊNIO E NECESSIDADES DE MICRONUTRIENTES – 486
2.1. Fixação de nitrogênio por bactérias em associação com gramíneas – 486
2.2. Especificidade de bactérias de fixação associativa – 488
3. SISTEMA RADICULAR E PROFUNDIDADE DE EXPLORAÇÃO DO SOLO – 489
4. ÁGUA E PROFUNDIDADE DE ENRAIZAMENTO INTERFERINDO NA DEFICIÊNCIA DE MICRONUTRIENTES – 491
5. SINTOMAS DE DEFICIÊNCIA DE MICRONUTRIENTES – 492
5.1. Deficiência de boro – 493
5.2. Deficiência de cobre – 494
5.3. Deficiência de ferro – 494
5.4. Deficiência de manganês – 494
5.5. Deficiência de zinco – 495
6. RESUMO – 495
7. SUMMARY – 496
8. LITERATURA CITADA – 497
CULTURAS ESTIMULANTES
1. INTRODUÇÃO – 501
2. CAFEEIRO – 501
2.1. Aspectos gerais – 501
2.2. Recrutamento e exportação de micronutrientes – 502
2.3. Micronutrientes no solo – 509
2.4. Levantamento do estado nutricional dos cafezais – 513
2.5. Teores foliares – 519
2.6. Sintomas de deficiência – 520
2.7. Sintomas de toxicidade – 525
2.8. Resposta à aplicação de micronutrientes – 525
3. CACAU – 533
3.1. Aspectos gerais – 533
3.2. Sintomas de desnutrição de micronutrientes – 533
3.3. Níveis analíticos e extração de nutrientes – 533
3.4. Correção de deficiências – 533
4. CHÁ – 535
4.1. Aspectos gerais – 535
4.2. Produção de matéria seca e extração de micronutrientes – 535
5. RESUMO – 540
6. SUMMARY – 540
7. LITERATURA CITADA – 544
CULTURAS OLERÍCOLAS
1. INTRODUÇÃO – 549
2. EXTRAÇÃO, MARCHA DE ABSORÇÃO E EXPORTAÇÃO DE MICRONUTRIENTES – 550
3. SINTOMAS DE DEFICIÊNCIA, DE TOXICIDADE E TEORES FOLIARES DE MICRONUTRIENTES – 555
3.1. Sintomas de deficiências – 555
3.2. Sintomas de toxicidade – 558
3.3. Teores foliares – 560
4. RESPOSTAS DE CULTURAS OLERÍCOLAS À ADUBAÇÃO COM MICRONUTRIENTES – 561
4.1. Boro – 562
4.2. Cobre – 565
4.3. Ferro – 566
4.4. Manganês – 566
4.5. Molibdênio – 567
4.6. Zinco – 568
5. RECOMENDAÇÕES OFICIAIS PARA O USO DE MICRONUTRIENTES E COMENTÁRIOS FINAIS – 569
6. RESUMO – 573
7. SUMMARY – 573
8. LITERATURA CITADA – 573
FRUTEIRAS
1. INTRODUÇÃO – 585
2. MICRONUTRIENTES EM DIVERSAS ESPÉCIES FRUTÍFERAS – 586
2.1. Abacateiro – 586
2.2. Abacaxizeiro – 587
2.3. Bananeira – 589
2.4. Cajueiro, coqueiro e goiabeira – 592
2.5. Citros – 594
2.6. Macieira – 604
2.7. Mamoeiro, mangueira e maracujazeiro – 605
2.8. Outras fruteiras de clima temperado – 610
2.9. Outras espécies frutíferas de clima tropical – 614
3. RESUMO – 616
4. SUMMARY – 616
5. LITERATURA CITADA – 616
PLANTAS ORNAMENTAIS
1. INTRODUÇÃO – 625
2. MICRONUTRIENTES EM CULTURAS DE PLANTAS ORNAMENTAIS – 626
2.1. Antúrio (Anthurium andraeanum) – 626
2.2. Crisântemo (Chrysanthemum morifolium) – 627
2.3. Gladíolo (Gladiolus communis) – 632
2.4. Orquídea (Orchidaceae) – 640
2.5. Pelargônio (Pelargonium zonale) – 641
2.6. Roseira (Rosa odorata) – 642
3. RESUMO – 648
4. SUMMARY – 648
5. LITERATURA CITADA – 648
FORRAGEIRAS
1. INTRODUÇÃO – 651
2. OS MICRONUTRIENTES E O DESENVOLVIMENTO E A PRODUÇÃO DE GRAMÍNEAS FORRAGEIRAS – 651
3. TEORES DE MICRONUTRIENTES EM GRAMÍNEAS FORRAGEIRAS – 653
4. OS MICRONUTRIENTES E O DESENVOLVIMENTO E A PRODUÇÃO DE LEGUMINOSAS FORRAGEIRAS – 655
5. TEORES DE MICRONUTRIENTES EM LEGUMINOSAS FORRAGEIRAS – 668
6. ADUBAÇÃO DE FORRAGEIRAS COM MICRONUTRIENTES – 672
7. CONSIDERAÇÕES GERAIS – 674
8. RESUMO – 676
9. SUMMARY – 677
10. LITERATURA CITADA – 677
ESSÊNCIAS FLORESTAIS
1. INTRODUÇÃO – 683
2. GÊNERO EUCALIPTUS – 684
2.1. Aspectos gerais – 684
2.2. Recrutamento e exportação de micronutrientes – 685
2.3. Sintomas de desnutrição – 686
2.4. Levantamento do estado nutricional – 697
2.5. Reciclagem de micronutrientes – 702
2.6. Resposta à aplicação de micronutrientes – 704
3. GÊNERO PINUS – 708
3.1. Considerações gerais – 708
3.2. Recrutamento e exportação de micronutrientes – 709
3.3. Sintomas de desnutrição – 712
3.4. Levantamento do estado nutricional – 716
3.5. Reciclagem de micronutrientes – 721
4. OUTRAS ESPÉCIES – 723
4.1. Cordia goeldiana (freijó) – 723
4.2. Araucaria angustifolia (araucária) – 725
5. RESUMO – 728
6. SUMMARY – 730
7. LITERATURA CITADA – 730

Editores: Manoel Evaristo Ferreira e Mara Cristina Pessôa da Cruz
Ano: 1991
Número de Páginas: 734
Tamanho: 16 x 23 cm
Editora: Potafos
Acabamento: Capa dura
Prazo de entrega
Prazo de entrega: Sedex de 03 a 05 dias úteis e PAC de 05 a 15 dias úteis
Indique este produto
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Nome (para):
E-mail(para):
Comentários:
 
Voltar
vazio

MATEMÁTICA FINANCEIRA
R$ 127,80
MANUAL DE TERAPÊUTICA VETERINÁRIA: consulta rápida
R$ 107,35
AGRIANUAL 2018
R$ 897,75
FISIOLOGIA da PRODUÇÃO de CANA-de-AÇÚCAR
R$ 115,00

Ver Todas as Novidades
——————————————————————————————

CNPJ: 96.631.353/0001-69 - Email: pldlivros@uol.com.br - Fone/Fax (19) 3421 7436 - Fone: 3423 3961 - Piracicaba/SP

Formas de Pagamento
—————————————————————————————
Política de Privacidade. ©2008, Revendas de Livros Técnicos. Todos os direitos reservados