IMPORTADOS
· Diversos
LIVROS TÉCNICOS
· Administração
· Agronomia
· Biologia - Ecologia
· Direito
· Diversos
· Engenharia Ambiental
· Engenharia Civil
· Engenharia de Alimentos
· Engenharia Florestal
· Entomologia
· Estatística
· Fisiologia Vegetal
· Fitopatologia
· Geologia
· Geoprocessamento
· Irrigação - Hidráulica
· Medicina Veterinária
· Nutrição
· Química
· Técnicas de Pesquisa - Estudos
· Zootecnia
 




MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS
R$ 52,00


  LIVROS TÉCNICOS >>> Fitopatologia
 
MANEJO DA RESISTÊNCIA DE FUNGOS A FUNGICIDAS
 
MANEJO DA RESISTÊNCIA DE FUNGOS A FUNGICIDAS     
  
Por: R$ 35,00 
 
 

   
   
   

Clique na imagem para ampliá-la
Descrição
Doença em planta é o resultado de uma ”interação dinâmica e irreversível entre o patógeno, o hospedeiro e o ambiente produzindo alterações fisiológicas e freqüentemente morfológicas da planta, podendo resultar em danos (redução na qualidade ou quantidade da produção e ou desvalorização do produto) e conseqüentemente perdas (redução do retorno financeiro por unidade de área)“. Tais alterações podem ser causadas por fatores bióticos e abióticos. Entre os fatores bióticos mais importantes destacam-se os fungos, as bactérias, os vírus e viroides, micoplasmas, riketsias (bactérias fastidiosas), actinomicetos e os nematóides. Entre os abióticos, incluem-se excesso ou deficiência de umidade, injúrias causados por pesticidas, deficiências nutricionais, gases poluidores do ar, agentes tóxicos produzidos biologicamente, toxidez de elementos minerais, etc.

A presença de um agente patogênico na planta raramente resulta na ocorrência de doença se não houver outras condições favoráveis. As condições básicas para que ocorra doença em plantas em caráter epidêmico são: 1 - plantio de variedades suscetíveis e cultivadas em grande extensão; 2 - grande quantidade de inóculo de um patógeno virulento presente na área e, 3 - persistência de ambiente favorável por vários ciclos da doença. Tais condições constituem a base para o estabelecimento de esquema de manejo integrado de doenças de plantas. Por exemplo, o sucesso no controle da maioria dos agentes bióticos requer conhecimento detalhado do ciclo de vida do organismo, de seu comportamento sobre ou dentro da planta, e o efeito dos fatores do ambiente na interação do patógeno e o hospedeiro.

1. Introdução – 1

2. Danos causados pelas doenças de plantas – 2

3. Fatores de Predisposição a Doenças – 5

4. Causas de insucesso no controle químico de doenças de plantas – 7
4.1. Diagnose incorreta do agente causal – 8
4.2. Local de plantio – 8
4.3. Clima extremamente favorável a doenças – 8
4.4. Desconhecimento dos fatores de predisposição as doenças – 9
4.5. Emprego do controle químico como a única medida para redução da severidade de doenças – 9
4.6. Desconhecimento do alvo biológico e época de aplicação (timing) – 10
4.7. Aplicar fungicidas sistêmicos após o surgimento da epidemia de um patógeno agressivo – 10
4.8. Emprego de sub-doses de fungicidas – 10
4.9. Aplicação de fungicidas com a folhagem molhada – 10
4.10. Emprego de um único fungicida sistêmico para o controle da doença – 11
4.11. Uso de misturas de fungicidas com inseticidas e micro-nutrientes – 11
4.12. Uso inadequado de adjuvantes para uma determinada formulação de fungicidas – 11
4.13. pH da calda fungicida – 12
4.14. Tecnologia de aplicação – 12
4.15. Adensamento de plantas – 13

5. Esquemas e componentes de uma célula vegetal, fúngica e bacteriana – 13

6. Cadeia de transporte de elétrons – 20

7. Fungicidas – 22
7.1. Mecanismo de Ação – 22
7.2. Principais Grupos de Fungicidas de acordo com o Mecanismo de Ação – 24

8. Resistência de fungos a fungicidas – 101
8.1. Tipos de resistência – 110
8.2. Relatos de ocorrência de resistência de fungos e bactérias a fungicidas e antibióticos no Brasil – 113
8.3. Desenvolvimento da resistência – 115
8.4. Características que tornam os fungos propícios ao desenvolvimento de resistência – 116
8.5. Fatores que influenciam o risco da resistência pelo emprego de fungicida com modo de ação específico – 124
8.6. Quanto custa à resistência de um fungicida a um patógeno para o produtor? – 126
8.7. Estratégias anti-resistência – 127
8.8. Estratégias anti-resistência - redução da pressão de seleção exercida pelos fungicidas sistêmicos com modo de ação específico – 128

9. Mecanismos moleculares de resistência a fungicidas – 143

10. Risco do surgimento de resistência – 145

Literatura Consultada – 151

Autores: Laércio Zambolim, Wilson Story Venâncio e Silvania Helena Furlan de Oliveira
Ano: 2007
Número de Páginas: 168
Tamanho: 15,5 x 22 cm
Acabamento: Brochura
ISBN: 978-85-60027-20-0
Prazo de entrega
Prazo de entrega: Sedex de 03 a 05 dias úteis e PAC de 05 a 15 dias úteis
Indique este produto
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Nome (para):
E-mail(para):
Comentários:
 
Voltar
vazio

UVA: do plantio à colheita
R$ 94,00
MANUAL DO CRIADOR DE OVINOS
R$ 52,00
NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS
R$ 110,00
EXAME DE CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA-10: teoria
R$ 74,90

Ver Todas as Novidades
——————————————————————————————

CNPJ: 96.631.353/0001-69 - Email: pldlivros@uol.com.br - Fone/Fax (19) 3421 7436 - Fone: 3423 3961 - Piracicaba/SP

Formas de Pagamento
—————————————————————————————
Política de Privacidade. ©2008, Revendas de Livros Técnicos. Todos os direitos reservados