IMPORTADOS
· Diversos
LIVROS TÉCNICOS
· Administração
· Agronomia
· Biologia - Ecologia
· Direito
· Diversos
· Engenharia Ambiental
· Engenharia Civil
· Engenharia de Alimentos
· Engenharia Florestal
· Entomologia
· Estatística
· Fisiologia Vegetal
· Fitopatologia
· Geologia
· Geoprocessamento
· Irrigação - Hidráulica
· Medicina Veterinária
· Nutrição
· Química
· Técnicas de Pesquisa - Estudos
· Zootecnia
 




BOTÂNICA SISTEMÁTICA
R$ 74,00


  LIVROS TÉCNICOS >>> Agronomia
 
A CULTURA DA BANANA: aspectos técnicos, socioeconômicos e agroindustriais
 
A CULTURA DA BANANA: aspectos técnicos, socioeconômicos e agroindustriais     
  
Por: R$ 0,00 
 
 

   
   
   

Clique na imagem para ampliá-la
Descrição
Esta obra reúne, em 19 capítulos, os resultados obtidos ao longo de 16 anos de investigação científica especialmente voltada para a obtenção do conhecimento detalhado sobre todos os grandes temas de importância agronômica, agroindustrial e socioeconômica, relacionados à cultura da banana.

Nela, está expressa a dedicação ímpar de pesquisadores e técnicos da Embrapa e de instituições parceiras que, com elevado grau de experiência e especialização acadêmica, dedicam, diuturna e sistematicamente, o melhor de seu esforço e talento para encontrar possíveis soluções capazes de superar os limites de conhecimento que ainda possam representar dificuldades para o cultivo, comercialização e consumo da banana, produto de expressiva importância para o mercado interno e com claro potencial para a exploração comercial no mercado de exportação.

Abrangente, sem perder, entretanto, o grau de especificidade exigido no trato dos diferentes temas abordados por seus autores, A Cultura da Banana - Aspectos técnicos, socioeconômicos e agroindustriais - constitui, desde já, marco no mercado brasileiro de informação técnica e científica, pois além de sua intrínseca qualidade técnica, passa a ser obra de obrigatória consulta de pesquisadores, professores universitários, técnicos e empresários que, até então, se ressentiam da ausência de informações atualizadas, detalhadas e completas sobre o assunto.

APRESENTAÇÃO – 9
PREFÁCIO – 11

CAPÍTULO I - CLASSIFICAÇÃO BOTÂNICA, ORIGEM, EVOLUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA
INTRODUÇÃO – 27
CLASSIFICAÇÃO BOTÂNICA – 27
ORIGEM E EVOLUÇÃO DAS CULTIVARES – 28
TAXONOMIA – 31
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA – 32
REFERÊNCIAS – 33

CAPÍTULO II - EXIGÊNCIAS CLIMÁTICAS
INTRODUÇÃO – 35
TEMPERATURA – 36
PRECIPITAÇÃO – 39
LUMINOSIDADE – 42
VENTO – 43
ALTITUDE – 44
UMIDADE RELATIVA – 45
INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS – 45
REFERÊNCIAS – 46

CAPÍTULO III - ESTRUTURA DA PLANTA
INTRODUÇÃO – 47
SISTEMA RADICULAR – 48
RIZOMA – 50
GEMA LATERAL – 51
SISTEMA FOLIAR – 52
Bainhas foliares – 54
Pseudopecíolo – 54
Nervura central – 55
Limbo – 55
DIFERENCIAÇÃO FLORAL – 56
INFLORESCÊNCIA – 56
FLORES – 58
CACHOS E FRUTOS – 58
REFERÊNCIAS – 59

CAPÍTULO IV - GERMOPLASMA
INTRODUÇÃO – 61
EROSÃO GENÉTICA – 62
CARACTERIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DO GERMOPLASMA – 63
CONSERVAÇÃO DO GERMOPLASMA DE Musa spp. – 71
Coleções de campo – 72
Bancos de sementes – 72
Culturas in vitro – 72
Criopreservação de Musa spp. – 76
INTERCÂMBIO DE GERMOPLASMA – 77
NORMAS PARA O INTERCÂMBIO DE GERMOPLASMA DE Musa spp. – 78
REFERÊNCIAS – 79

CAPÍTULO V - CULTIVARES
INTRODUÇÃO – 85
PRINCIPAIS CULTIVARES – 85
Cultivares AA – 86
Ouro – 88
Cultivares AAA – 88
Subgrupo Gros Michel – 88
Gros Michel – 88
Highgate – 89
Subgrupo Cavendish – 89
Nanica – 90
Nanicão – 91
Grande Naine – 92
Williams Hybrid – 93
Valery – 93
Lacatan – 93
Outras Cultivares AAA – 93
Caru Roxa – 93
Caru Verde – 94
Caipira – 94
Cultivares AAB – 94
Subgrupo Prata – 94
Prata – 95
Pacovan – 95
Prata Anã – 96
Maçã – 97
Mysore – 98
Thap Maeo – 98
Subgrupo Terra – 98
Terra – 98
D’Angola – 100
Terrinha – 100
Pacova ou Farta Velhaco – 101
Pacovaçu – 101
Cultivares AAAB – 101
Pioneira – 101
Ouro da Mata – 102
Cultivares ABB – 102
Subgrupo Figo (Bluggoe) – 102
Figo Cinza – 103
Figo Vermelho – 103
Figo Anão – 103
REFERÊNCIAS – 104

CAPÍTULO VI - CITOGENÉTICA E MELHORAMENTO GENÉTICO
INTRODUÇÃO – 107
ESTUDOS DO CARIÓTIPO – 109
Técnicas de contagem de cromossomas – 113
ESTERILIDADE GAMÉTICA EM BANANEIRAS DIPLÓIDES – 114
POLIPLOIDIA NO GÊNERO Musa – 117
Efeito da poliploidia nas bananeiras – 117
MELHORAMENTO GENÉTICO DA BANANEIRA – 119
Histórico – 119
Variabilidade em banana – 120
Melhoramento por hibridação – 122
Melhoramento da classe diplóide – 125
Produção de triplóides a partir de diplóides e de cruzamentos tetraplóide x diplóide – 129
Produção de triplóides AAA a partir de diplóides AA – 130
Produção de triplóides AAB a partir de diplóides AB – 130
Produção de tetraplóides a partir de triplóides – 133
Fase atual do programa de melhoramento da bananeira – 140
Melhoramento por meio de mutações espontâneas e induzidas – 140
APLICAÇÕES DE TÉCNICAS DE CULTIVO IN VITRO – 144
CONCLUSÕES – 145
REFERÊNCIAS – 146

CAPÍTULO VII - PROPAGAÇÃO
INTRODUÇÃO – 151
TIPOS DE MUDAS – 152
MÉTODOS DE PROPAGAÇÃO – 152
Fracionamento do rizoma – 155
Propagação rápida – 156
Propagação in vitro – 160
Explantes – 160
Genótipo – 163
Etapas da micropropagação – 164
Meios de cultura – 168
Condições ambientais – 173
Aplicações da micropropagação – 173
Problemas da micropropagação – 180
CONCLUSÕES E PERSPECTIVAS – 186
REFERÊNCIAS – 187

CAPÍTULO VIII - SOLOS, NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO
INTRODUÇÃO – 197
SOLO – 198
Preparo do solo – 198
Cuidados no preparo do solo – 198
Manejo e conservação do solo – 199
Plantas melhoradoras do solo – 201
Cobertura morta – 202
EXIGÊNCIAS E ABSORÇÃO DE NUTRIENTES – 205
Quantidade absorvidas e teores na planta – 209
Marcha de absorção – 211
FUNÇÃO E IMPORTÂNCIA DE NUTRIENTES – 213
Macronutrientes – 217
Nitrogênio – 217
Fósforo – 217
Potássio – 218
Cálcio – 218
Magnésio – 219
Enxofre – 219
Micronutrientes – 219
Boro – 219
Cloro – 220
Cobre – 220
Ferro – 220
Manganês – 220
Molibdênio – 221
Zinco – 221
AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL – 221
Diagnose visual – 221
Macronutrientes – 223
Nitrogênio – 223
Fósforo – 223
Potássio – 223
Cálcio – 226
Magnésio – 226
Enxofre – 227
Micronutrientes – 228
Boro – 228
Cobre – 229
Ferro – 230
Manganês – 230
Zinco – 231
Sódio – 232
Diagnose foliar – 233
Amostragem – 233
Preparo da amostra – 234
Interpretação dos resultados – 235
ANÁLISE QUÍMICA DO SOLO – 235
Amostragem – 235
Interpretação dos resultados – 237
Recomendações de calagem e adubação – 238
Calagem – 238
Adubação – 239
Produção de mudas – 239
Canteiros – 239
Viveiros – 239
Campo – 240
Orgânica – 240
Mineral: macronutrientes – 241
Mineral: micronutrientes – 251
Época e localização dos adubos – 252
REFERÊNCIAS – 254

CAPÍTULO IX - PLANEJAMENTO DE UM PLANTIO COMERCIAL
INTRODUÇÃO – 261
ÁREA DE CULTIVO – 262
INFRA-ESTRUTURA – 262
Carreadores, zonas, setores – 262
Cabos aéreos – 263
Galpão de embalagem – 265
Estradas – 266
Drenagem – 266
VARIEDADE OU CULTIVAR – 270
INSTALAÇÃO DO BANANAL – 270
Época de plantio – 270
Sistemas de espaçamento – 271
Densidade populacional – 273
Coveamento ou sulcamento – 278
Seleção e preparo das mudas – 280
Plantio e replantio – 284
MANUTENÇÃO – 286
REFERÊNCIAS – 289

CAPÍTULO X - DRENAGEM
INTRODUÇÃO – 291
O ENCHARCAMENTO DO SOLO E AS CONSEQUÊNCIAS PARA A BANANEIRA – 292
DETERMINAÇÃO DA NECESSIDADE DE DRENAGEM – 294
Níveis de estudo – 295
Reconhecimento geral – 297
Revisão dos dados disponíveis – 297
Reconhecimento de campo – 297
Estudo semidetalhado – 297
Estudo detalhado – 298
Estudos técnicos – 298
Topografia – 298
Estudos de solos – 298
Estudos geológicos – 299
Uso atual da terra – 299
Estudos de salinidade – 300
Estudos de níveis freáticos – 300
Poços amazonas – 300
Superfícies livres de água – 300
Poços de observação – 301
Níveis piezométricos – 304
Estudos de permeabilidade – 304
DIAGNÓSTICO DO PROBLEMA DE DRENAGEM – 304
Mapas de isocargas (isohypsas) – 305
Mapas das isoprofundidades (isóbatas) – 305
Hidrograma – 308
Gráfico área x tempo – 308
FATORES QUE ORIGINAM OS PROBLEMAS DE DRENAGEM – 310
HIERARQUIZAÇÃO DOS PROBLEMAS DE DRENAGEM – 310
SOLUÇÕES PROVÁVEIS DOS PROBLEMAS DE DRENAGEM – 312
Interceptação de fontes externas de alimentação – 312
Interceptação de fontes superficiais – 312
Interceptação de fontes subterrâneas – 313
Eliminação ou redução de fontes internas de alimentação – 313
Eliminação de fontes internas superficiais – 313
Eliminação de fontes internas subterrâneas – 313
Eliminação de obstáculos externos – 314
Eliminação de obstáculos internos – 315
REFERÊNCIAS – 316

CAPÍTULO XI - IRRIGAÇÃO
INTRODUÇÃO – 317
MÉTODOS DE IRRIGAÇÃO – 318
Localizados – 318
Gotejamento e microaspersão – 318
Por superfície – 320
Irrigação por sulcos – 321
Irrigação por faixas – 323
Por aspersão – 324
NECESSIDADES HÍDRICAS OU EVAPOTRANSPIRAÇÃO – 326
Evapotranspiração potencial de referência (ETo) – 326
Evapotranspiração potencial da cultura (ETpc) – 326
Evapotranspiração real da cultura (ETrc) – 326
MANEJO DA IRRIGAÇÃO – 329
Disponibilidade total de água no solo (DTA) – 329
Capacidade total de água no solo (CTA) – 330
Capacidade real de água no solo (CRA) – 330
Quantidade total de água necessária (QTN) – 331
Turno de rega ou freqüência de irrigação – 331
QUALIDADE DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO – 331
REFERÊNCIAS – 332

CAPÍTULO XII - PRÁTICAS CULTURAIS
INTRODUÇÃO – 335
CAPINA – 336
CONTROLE CULTURAL – 339
DESBASTE – 341
DESFOLHA – 345
ESCORAMENTO – 346
ENSACAMENTO DO CACHO – 346
CORTE DO PSEUDOCAULE APÓS A COLHEITA – 348
REFERÊNCIAS – 350

CAPÍTULO XIII - DOENÇAS
INTRODUÇÃO – 353
SIGATOKA-AMARELA – 354
Introdução – 354
Sintomatologia – 355
Agente causal – 356
Aspectos epidemiológicos – 357
Produção e disseminação dos ascoporos – 357
Produção e disseminação dos conídios – 357
Controle – 358
Controle cultural – 359
Drenagem – 359
Combate às plantas daninhas – 359
Desfolha – 359
Controle químico – 359
Horário de aplicação – 359
Condições climáticas – 360
Direcionamento do produto – 360
Monitoramento do controle – 360
Produtos utilizados no controle – 360
Fungicidas de contato – 360
Fungicidas sistêmicos – 361
Benzimidazóis – 361
Triazóis – 361
Óleo mineral – 361
Intervalos e épocas de aplicação – 362
Sistemas de previsão – 362
Controle genético – 363
SIGATOKA-NEGRA – 363
Introdução – 363
Sintomatologia – 364
Agente causal – 366
Aspectos epidemiológicos – 366
Medidas de controle – 366
Controle químico – 366
Controle genético – 367
MAL-DO-PANAMÁ OU MURCHA-DE-FUSARIUM – 367
Introdução – 367
Sintomatologia – 368
Sintomas externos – 368
Sintomas internos – 369
Agente causal – 369
Aspectos epidemiológicos – 371
Medida de controle – 372
MOKO OU MURCHA-BACTERIANA – 373
Introdução – 373
Agente causal – 373
Sintomatologia – 374
Sintomas externos – 374
Sintomas internos – 376
Como diferenciar o moko do mal-do-panamá – 377
Aspectos epidemiológicos – 378
Medidas de controle – 379
Medidas de exclusão – 379
Medidas de erradicação – 380
Medidas profiláticas – 380
Resistência varietal – 381
OUTRAS DOENÇAS – 382
Podridão-mole – 382
Doenças do engaço e fruto – 383
Podridão-do-engaço – 383
Medidas de controle – 384
Podridão-da-coroa – 384
Medidas de controle – 384
Doenças do fruto – 384
Lesão-de-johnston ou pinta-de-piriculária – 385
Mancha-diagonal – 385
Pinta-de-deightoniela – 386
Ponta-de-charuto – 386
Podridões-dos-frutos – 386
Antracnose – 387
Medidas gerais de controle – 387
VIROSES – 388
“Banana bunchy top virus” (BBTV) – 388
Sintomas – 388
Agente causal – 389
Controle – 389
Vírus-do-mosaico-do-pepino (CMV) – 389
Sintomas – 390
Agente causal – 390
Controle – 390
Vírus-das-estrias (BSV) – 390
NEMATÓIDES E SEU CONTROLE – 392
Introdução – 392
Radopholus similis – 392
Helicotylenchus multicinctus – 393
Pratylenchus coffeae – 394
Meloidogyne spp. (nematóide-das-galhas) – 395
Medidas de controle – 395
Tratamento das mudas – 396
Alqueive – 396
Inundação – 396
Rotação de culturas – 397
Uso de escoras e “amarrio” das plantas – 397
Resistência varietal – 397
Tratamento químico do solo – 397
REFERÊNCIAS – 398

CAPÍTULO XIV - PRAGAS
INTRODUÇÃO – 409
BROCA-DO-RIZOMA – 410
Importância, distribuição e hospedeiros – 410
Descrição, aspectos biológicos e comportamentais – 411
Danos e prejuízos – 415
Avaliação do dano – 417
Método de Vilardebo – 417
Método de Mesquita – 417
Controle – 418
Cultural – 418
Uso de variedades resistentes – 420
Químico – 423
Tratamento da cova de plantio – 423
Tratamento do pomar – 423
Iscas atrativas – 424
Biológico – 427
TRIPES-DA-FLOR – 430
Importância – 430
Descrição, aspectos biológicos e comportamentais – 431
Danos – 431
Controle – 431
TRIPES-DA-FERRUGEM-DO-FRUTO – 432
Importância – 432
Descrição, aspectos biológicos e comportamentais – 432
Danos – 433
Controle – 433
TRAÇA-DA-BANANEIRA – 434
Importância – 434
Descrição, aspectos biológicos e comportamentais – 434
Danos – 435
Controle – 435
PULGÃO-DA-BANANEIRA – 436
Importância – 436
Descrição, aspectos biológicos e comportamentais – 436
Danos – 437
Controle – 437
LAGARTAS DESFOLHADORAS – 437
Importância – 437
Descrição, aspectos biológicos e comportamentais – 437
Danos – 438
Controle – 439
ABELHA ARAPUÁ – 439
Importância – 439
Descrição, aspectos biológicos e comportamentais – 439
Danos – 440
Controle – 440
REFERÊNCIAS – 440

CAPÍTULO XV - COLHEITA E MANEJO PÓS-COLHEITA
INTRODUÇÃO – 453
COLHEITA – 454
Quando colher – 454
Como colher – 455
MANEJO PÓS-COLHEITA – 457
Transporte do cacho – 457
Despencamento, lavagem e embalagem – 461
Classificação – 469
CONSERVAÇÃO PÓS-COLHEITA – 471
Refrigeração – 471
Atmosfera modificada – 473
Maturação controlada – 476
Profilaxia de equipamentos e instalações – 483
REFERÊNCIAS – 484

CAPÍTULO XVI - TÉCNICAS EXPERIMENTAIS
INTRODUÇÃO – 487
PRINCÍPIOS BÁSICOS DA EXPERIMENTAÇÃO – 488
Parcela ou unidade experimental – 488
Bordadura – 490
Repetição – 491
Casualização ou aleatorização – 491
Controle local – 491
DELINEAMENTOS EXPERIMENTAIS – 491
Introdução – 491
Inteiramente casualizados – 492
Blocos completos casualizados – 492
Quadrado latino – 493
EXPERIMENTOS FATORIAIS – 494
EXPERIMENTOS EM PARCELAS SUBDIVIDIDAS – 496
EXPERIMENTOS EM RETICULADOS QUADRADOS – 497
TESTES DE SIGNIFICÂNCIA – 498
Testes paramétricos – 498
Teste de Tukey – 498
Teste de Duncan – 498
Teste de Newman-Keuls – 499
Teste de Dunnett – 500
Testes não paramétricos – 500
Teste de Kruskal-Wallis – 500
Comparações múltiplas – 501
Teste de Friedman – 503
Comparações múltiplas – 504
ANÁLISES ESTATÍSTICAS – 505
CONSIDERAÇÃO FINAL – 505
REFERÊNCIAS – 506

CAPÍTULO XVII - ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS
INTRODUÇÃO – 507
ASPECTOS SOCIAIS DA BANANICULTURA – 508
Importância alimentar – 508
Emprego de mão-de-obra – 511
SITUAÇÃO DA CULTURA NO MUNDO – 511
CULTURA DA BANANA NO BRASIL – 516
REFERÊNCIAS – 524

CAPÍTULO XVIII - MERCADO
INTRODUÇÃO – 525
MERCADO INTERNO – 526
Transporte – 526
Comercialização – 528
Fluxo de comercialização – 531
Produtos industrializados – 533
MERCADO EXTERNO – 534
Frutas frescas – 534
Produtos industrializados – 542
REFERÊNCIAS – 542

CAPÍTULO XIX - PROCESSAMENTO E UTILIZAÇÃO
INTRODUÇÃO – 545
PURÊ DE BANANA – 547
Purê asséptico de banana – 548
Purê acidificado de banana – 551
Purê de banana congelado – 554
Purê de banana preservado quimicamente – 555
DOCE DE BANANA EM MASSA – 558
OUTROS PRODUTOS OBTIDOS A PARTIR DO PURÊ DE BANANA – 561
Néctar – 561
Banana “drink” – 564
Suco – 564
BANANA-PASSA – 564
FLOCOS DE BANANA – 568
FARINHA DE BANANA – 571
BANANA “CHIPS” – 574
VINAGRE DE BANANA – 576
Fermentação alcoólica – 576
Fermentação acética – 578
BANANA EM CALDA – 579
REFERÊNCIAS – 581

Autor: Élio José Alves
Ano: 1999 (reimpressão 2009)
Número de Páginas: 585
Tamanho: 16 x 23 cm
Editora: Embrapa
Acabamento: Brochura
ISBN: 85-7383-001-8
Prazo de entrega
Prazo de entrega: Sedex de 03 a 05 dias úteis e PAC de 05 a 15 dias úteis
Indique este produto
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Nome (para):
E-mail(para):
Comentários:
 
Voltar
vazio

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA
R$ 137,20
MENDEL: das leis da hereditariedade à engenharia genética
R$ 100,00
EMPREENDEDORISMO ESTRATÉGICO: criação e gestão de pequenas empresas
R$ 75,90
ESTATÍSTICA BÁSICA - (Bussab)
R$ 134,90

Ver Todas as Novidades
——————————————————————————————

CNPJ: 96.631.353/0001-69 - Email: pldlivros@uol.com.br - Fone/Fax (19) 3421 7436 - Fone: 3423 3961 - Piracicaba/SP

Formas de Pagamento
—————————————————————————————
Política de Privacidade. ©2008, Revendas de Livros Técnicos. Todos os direitos reservados